Mary Baker Eddy — Leitura com mais detalhes

Mary Baker Eddy foi uma líder religiosa que viveu nos Estados Unidos e é amplamente conhecida como a Descobridora da Ciência Cristã. Ela é reconhecida principalmente como autora de Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, o livro que explica seu sistema de cura cristã. Fundou A Igreja de Cristo, Cientista, que hoje tem filiais ao redor do mundo. Também fundou The Christian Science Monitor, uma respeitada fonte global de notícias que ganhou sete prêmios Pulitzer.

Primeiros anos

Nascida em Bow, New Hampshire, em 16 de julho de 1821, Mary Morse Baker era a filha mais nova de Mark Baker e Abigail Ambrose Baker. O trabalho na fazenda, a oração, a Bíblia e a igreja Congregacional constituíam o âmago da família Baker. Sua educação formal foi interrompida por períodos de doença, mas quando não estava na escola, ela lia e estudava em casa, além de escrever poesias e prosa desde criança. Os tratamentos prescritos pelos médicos davam-lhe apenas alívio temporário. Criada em uma família cristã, ela amava a Deus e se importava profundamente com os outros. Mas rebelou-se contra a crença em um Deus cruel que selecionava apenas uns poucos para ir para o céu, enquanto a maioria era condenada ao inferno.

Em dezembro de 1843, Mary Baker casou-se com George Washington Glover, empresário jovem e promissor, e o casal se mudou para as Carolinas. Ele veio a falecer no mês de junho do ano seguinte, três meses antes do nascimento de seu filho, George. Voltando para o norte, Mary encontrou abrigo e apoio na casa dos pais, em New Hampshire, até o falecimento da mãe, em 1849. Pouco tempo depois, com a saúde frágil, ela foi forçada a entregar o pequeno George aos cuidados de amigos. Por ser mulher, ela não tinha a guarda do próprio filho. Esse direito pertencia ao avô.

Retrato da propriedade em Bow, New Hampshire, 1898. Pintura de James Gilman. 1981.06 Coleção Arte e outros objetos.

A Bíblia da família Baker, 1795. B00029.

Em 1853, casou-se com Daniel Patterson, um dentista, na esperança de dar um lar estável a seu filho. Mas isso não se realizou. O casamento teve altos e baixos, mas foi marcado por um afeto genuíno. Os Pattersons tinham problemas financeiros, mudaram-se da zona rural de New Hampshire para Lynn, Massachusetts, nos arredores de Boston. (Posteriormente, após dez anos separados, ela se divorciou de Patterson, com base no adultério e deserção de parte dele.)

Lutando contra a doença persistente e a perda afetiva, ela tentou vários tratamentos, desde dietas até tratamentos pelas águas. Estudou homeopatia e fez experiências com pílulas não medicamentosas (hoje conhecidas como placebos), chegando à conclusão de que a crença do paciente tinha um papel determinante na cura. Durante esse período de busca, ela continuou a encontrar consolo e orientação na Bíblia.

Em 1862, em meio à Guerra Civil nos Estados Unidos, consultou-se com Phineas Quimby, um sanador de Portland, Maine, cujos tratamentos não faziam uso de medicamentos. No início sua saúde melhorou, mas a melhora não foi permanente. Nos poucos anos seguintes, ela visitou Quimby e conversou com ele a respeito da cura. Com o tempo, ela concluiu que os métodos de Quimby dependiam em grande parte da sugestão hipnótica.

Emergindo

Um momento decisivo ocorreu em 1866. Uma queda grave em uma calçada com gelo, em Lynn, Massachusetts, deixou Mary Patterson em estado crítico. Pediu sua Bíblia e leu uma das curas de Jesus. Profundamente inspirada, de repente ela já estava bem. Essa experiência acabou ficando marcada como sua descoberta da Ciência Cristã. Nesse ponto, ela estava na metade de sua vida — e já havia atingido a expectativa de vida média para uma mulher daquela época.

Seguiram-se nove anos de estudo da Bíblia, cura e ensino. Pobre e sozinha, ela ficava na casa de amigos ou alugava quartos onde pudesse pensar, escrever e orar. Sua família não a ajudou. Ela falava com as pessoas sobre suas ideias e às vezes as curava de doenças e problemas morais. Logo começou a ensinar alunos a curar, como ela curava.

Em 1875, publicou o livro Ciência e Saúde, explicando esse método de cura. De acordo com o livro, as curas de Jesus não eram milagres, mas estavam fundamentadas na compreensão acerca de Deus, que os leitores poderiam obter por si mesmos. O envolvimento de Mary Baker Eddy com a Bíblia durante toda a sua vida teve profunda influência no desenvolvimento de suas ideias.

Em 1877, ela se casou com um de seus alunos, Asa Gilbert Eddy (c.1832–1882). Ele lhe deu forte apoio, à medida que a Ciência Cristã crescia lentamente na Nova Inglaterra e em outras regiões. Dois anos depois, Mary e seus alunos deram início à Igreja de Cristo, Cientista, estabelecida para “restabelecer o Cristianismo dos primeiros tempos e seu elemento de cura, que se havia perdido”. Ela fundou a Faculdade de Metafísica de Massachusetts em 1880, para ensinar a cura pela Ciência Cristã. Boston tornou-se a sede da Ciência Cristã.

À medida que esse novo movimento crescia, durante a década de 1880, Mary Baker Eddy enfrentou forte oposição como líder e pensadora religiosa emergente. As mulheres não podiam votar, e muito poucas eram pastoras ou médicas. Estabelecer o movimento da Ciência Cristã em bases sólidas exigiu grande persistência e esforço. A venda de seu livro ajudou a Sra. Eddy a sair da pobreza.

Retrato de Mary Baker Eddy, 1918. Arte de Max Bohm. 1986.141 Coleção Arte e outros objetos.

Últimos anos

Retrato de Mary Baker Eddy, 1951. Arte de Bethuel Moore. 1982.0035 Coleção Arte e outros objetos. © The Christian Science Board of Directors.

Mary Baker Eddy mudou-se de Boston para Concord, New Hampshire, em 1889. Comprou uma casa de fazenda que chamou “Pleasant View”. Ela era bastante atarefada e contava com uma equipe de ajudantes em apoio a seu trabalho. Em 1892, reorganizou sua igreja e estabeleceu a Diretoria da Ciência Cristã para conduzir os afazeres da igreja. Dois anos depois, o primeiro edifício da Igreja da Ciência Cristã em Boston — A Igreja Mãe — realizou o culto inaugural, em 30 de dezembro de 1894. No ano seguinte, a Igreja publicou a primeira edição de um manual que ainda hoje governa as atividades da igreja.

A Sra. Eddy também fundou A Sociedade Editora da Ciência Cristã, em 1898, que se tornou fonte de uma variedade de publicações da igreja. Com a idade de 87 anos, ela fundou o The Christian Science Monitor, com o propósito de “não prejudicar ninguém, mas abençoar toda a humanidade”.

A Sra. Eddy faleceu em 3 de dezembro de 1910, e foi sepultada no Cemitério Mt. Auburn em Cambridge, Massachusetts. A igreja ainda estava crescendo, e Ciência e Saúde estava sendo traduzido para o alemão, a primeira de muitas línguas que viriam. Tributos à vida da Sra. Eddy foram publicados em jornais, incluindo este do The Boston Globe: “Ela fez no mundo um trabalho maravilhoso e extraordinário, e não há dúvidas de que foi uma poderosa influência para o bem”.

Escritos

Além de tudo, Mary Baker Eddy foi uma escritora. Na juventude, escreveu poesias e trabalhos em prosa para revistas e jornais. Depois de descobrir a Ciência Cristã, ela manteve vasta correspondência com milhares de pessoas comuns, e com líderes do pensamento na religião, no movimento sufragista e na medicina. Sua publicação mais importante foi Ciência e Saúde. Ela o revisou muitas vezes, entre 1875 e sua morte. Também foi autora de outros 16 títulos que estão em circulação ainda hoje. Saiba mais a respeito de seus escritos publicados.

A igreja hoje

Boston, Massachusetts, Estados Unidos, é a sede dA Igreja de Cristo, Cientista, que inclui igrejas filiais em 80 países. A Sra. Eddy e um pequeno grupo de alunos a fundaram em 1879, mas até 15 anos após sua fundação, ela própria não tinha um lar permanente. A Igreja Mãe Original, construída em 1894, está no coração da Praça da Ciência Cristã. O edifício é de estilo românico, construído em granito de New Hampshire, com vitrais coloridos retratando eventos relacionados à Bíblia e a Ciência Cristã. A grande extensão abobadada foi concluída em 1906. Combina elementos da arquitetura renascentista e bizantina. Seu órgão, construído pela Aeolian-Skinner Company, de Boston, é um dos maiores do mundo.

Os cultos dominicais em todas as igrejas da Ciência Cristã estão centrados nas Lições Bíblicas semanais, que consistem em citações da Bíblia e de Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, lidas por dois leitores. As Reuniões de Testemunhos das quartas-feiras incluem leituras desses livros, abordando alguma questão ou necessidade do momento na comunidade ou no mundo; após a leitura, a congregação é convidada a compartilhar experiências de cura espiritual ou ideias a respeito da compreensão que adquiriram pela oração e estudo da Ciência Cristã. A igreja não tem clero, e homens e mulheres participam igualmente em suas atividades.

A organização da Igreja de Cristo, Cientista, tem a supervisão de uma Diretoria composta de cinco membros.