Nelson Mandela visita o Monitor

7 fevereiro 2022

-

Nelson Mandela visita a Praça da Ciência Cristã, 24 de junho de 1990. Peter Main. © The Christian Science Monitor. Arquivos da Igreja, Caixa 49371.

Era 24 de junho de 1990, uma tranquila manhã de domingo no The Christian Science Monitor em Boston… até que a equipe teve uma surpresa. Estando na Praça da Ciência Cristã, a assistente de redação Faye Bowers avistou Nelson Mandela, que visitava o local junto com seus seguranças e comitiva. “Espere aqui”, ela lembra de ter pedido a ele.1

Mandela havia saído recentemente da prisão, em 11 de fevereiro.2 Logo depois, ele deu início a uma viagem internacional para arrecadar fundos, passando por oito cidades americanas ao longo de 12 dias, incluindo Boston. No sábado, 23 de junho, houvera um concerto e um comício de seis horas com o senador Edward M. Kennedy, na Esplanada do rio Charles.3 Na manhã seguinte, ele estava caminhando na área do espelho d’água ao lado dA Primeira Igreja de Cristo, Cientista (A Igreja Mãe).4

Nelson Mandela addresses a group of reporters at The Christian Science Monitor

Nelson Mandela fala a um grupo de jornalistas e equipe do The Christian Science Monitor, 24 de junho de 1990. Peter Main. © The Christian Science Monitor. Arquivos da Igreja, Caixa 49371.

Bowers foi correndo avisar seus colegas do Monitor, e o redator-chefe Richard Cattani correu ao encontro de Mandela.5 Ele acompanhou o futuro presidente sul-africano na visita À Igreja Mãe; era cedo pela manhã, antes do início do culto dominical. Também deu a Mandela um exemplar do livro de Mary Baker Eddy, Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras.

Nelson Mandela walking alongside the reflecting pool on the Christian Science Plaza

Nelson Mandela caminhando junto ao espelho d’água, na Praça da Ciência Cristã em Boston, 24 de junho de 1990. Peter Main. © The Christian Science Monitor. Arquivos da Igreja, Caixa 543656, Pasta 521097.

Mandela conversou com a equipe do Monitor, apertou-lhes as mãos e agradeceu-lhes por seu trabalho. “Foi um momento muito especial”, refletiu Cattani mais tarde. “Sentimos que estávamos compartilhando uma missão e um propósito.”6

Naquele dia, o fotógrafo do Monitor, Peter Main, tirou dezenas de fotos, coloridas e em preto e branco. Estão guardadas nos arquivos da Biblioteca Mary Baker Eddy.

Mandela foi uma figura proeminente na luta contra o apartheid, em prol da igualdade de direitos raciais na África do Sul. Trinta anos antes, em março de 1960, a polícia sul-africana branca havia atirado contra milhares de manifestantes negros, no município segregado de Sharpeville, deixando 69 mortos e mais de 200 feridos.7 Houve muitos protestos depois do massacre de Sharpeville. O governo sul-africano branco baniu os grupos dos sul-africanos negros, inclusive o Congresso Nacional Africano (CNA), e perseguiu ou prendeu seus líderes.8 De acordo com o colaborador do Monitor, Robert E. White, “Sharpeville convenceu os líderes do CNA de que a luta armada tinha de acompanhar e reforçar um protesto pacífico. A facção militar do CNA, Spear of the Nation [Lança de uma nação], começou a realizar ataques punitivos contra alvos como delegacias de polícia e linhas de transmissão de energia”.9

O envolvimento de Mandela no CNA e no Spear of the Nation levou à sua prisão, em 1962.10 Ele ficou preso pelos 27 anos seguintes.

Nelson Mandela and Richard Cattani

Nelson Mandela e Richard Cattani (redator-chefe do The Christian Science Monitor), 24 de junho de 1990. Peter Main. © The Christian Science Monitor. Arquivos da Igreja, Caixa 543656, Pasta 521097.

O que levou Mandela a fazer essa visita não planejada? De acordo com um boletim do Monitor, ele disse o seguinte: “Eu precisava ver o interior da Igreja que vem tendo impacto tão grande no povo da África negra”. Foi relatado que, durante a conversa com a equipe, ele se referiu ao jornal como “uma das vozes mais importantes que cobrem os acontecimentos da África do Sul” e “revelou que fora uma das publicações que ele podia ler na prisão”. Também “expressou gratidão pela equidade e honestidade do jornal” e “disse, em essência, que o Monitor oferece o tipo de cobertura que eleva o espírito, que oferece às pessoas uma visão do mundo que lhes dá motivos para ter esperança”.11 “Conheci muito bem o The Christian Science Monitor durante meus 27 anos na prisão”, disse. “Ele continua a me dar esperança e confiança quanto ao futuro do mundo.”12

Após a morte de Mandela, em 2013, Bowers recordou essa visita: “Que homem maravilhoso — corajoso, manso, humilde, que defendeu suas convicções e fez uma grande diferença no mundo. Sou grata por tê-lo visto de perto, grata por ele ter vindo a Boston”.13 As fotos de sua visita, juntamente com os relatos da equipe do Monitor, apresentam um painel interessante sobre uma figura fundamental da história do século XX.


Esse blog também pode ser lido neste site em alemãoespanholfrancês e inglês.

Print Friendly, PDF & Email
  1. “Monitor writers celebrate ‘unique’ moments” [Os redatores do Monitor celebram momentos “únicos”], The Christian Science Monitor, 26 de março de 2009, https://www.csmonitor.com/The-Culture/2009/0326/monitor-writers-celebrate-unique-moments.
  2. John Battersby, “Mandela Release: Watershed for South Africa” [Mandela libertado: Um divisor de águas para a África do Sul], The Christian Science Monitor, 12 de fevereiro de 1990, 1.
  3. John Kifner, “The Mandela Visit; Education Is Mighty Force, Boston Teen-Agers Are Told” [A visita de Mandela; Mensagem para os adolescentes de Boston: A educação é uma força poderosa], The New York Times, 24 de junho de 1990, 21; Catherine Foster, “A Rousing Party for African Hero” [Uma festa vibrante para o herói africano], The Christian Science Monitor, 25 de junho de 1990, 18.
  4. “Monitor writers celebrate ‘unique’ moments”.
  5. Ibidem.
  6. “Nelson Mandela Visits Home of the Monitor” [Nelson Mandela visita a sede do Monitor], Monitor Month, julho de 1990, 1.
  7. Nancy L. Clark e William H. Worger, South Africa: The rise and fall of apartheid, 3rd ed [África do Sul: Ascensão e queda do apartheid, 3a ed] (New York: Routledge, 2016), 65.
  8. A. Levine e J.J. Stremalud, International Encyclopedia of the Social & Behavioral Sciences [Enciclopédia Internacional de Ciência Sociais e Comportamentais], “Apartheid” (Amsterdam; New York: Elsevier, 2001), 577.
  9. Robert E. White, “South Africa: adding bite to US bark” [África do Sul: Acrescentando mordida ao latido dos EUA], The Christian Science Monitor, 30 de dezembro de 1985, 12.
  10. “Nelson Mandela: CIA tip-off led to 1962 Durban arrest” [Nelson Mandela: Informação da CIA levou à prisão em Durban, em 1962], BBC Africa, 15 de maio de 2016, https://www.bbc.com/news/world-africa-36296551.
  11. “Nelson Mandela Visits Home of the Monitor”, Monitor Month, julho de 1990, 1.
  12. John Yemma, “Nelson Mandela at the Monitor: A memorable visitor on a quiet Sunday” [Nelson Mandela: Um visitante memorável em um calmo domingo], The Christian Science Monitor, 6 de dezembro de 2013.
  13. Alia Malek, “If you were there, you remember Mandela’s 1990 tour of the US” [Se você estava lá, você se lembra da visita de Mandela aos EUA, em 1990], Aljazeera America, 12 de dezembro de 2013.